Brasileiro é preso suspeito de matar a esposa em Portugal; caso ocorreu na frente dos filhos

Átila e a ex-mulher, Cássia Ariadne — Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução

 

Um brasileiro de 34 anos foi preso na última quarta-feira (5) em Portugal, horas depois de esfaquear até a morte a ex-esposa e espancar a enteada.

Átila Phoebus Santos Duarte foi detido horas depois do crime, cometido na casa da vítima. Ele escapou após o assassinato, mas foi localizado na região do Alentejo, onde trabalhava.

De acordo com informações da polícia local, divulgadas pelo g1, a nutricionista Cássia Ariadne, de 34 anos, havia se separado de Átila há cerca de um ano, mas o rapaz não aceitava o término do relacionamento.

Cássia, inclusive, já havia registrado ocorrências contra o ex-marido, com quem foi para Portugal há três anos, após deixar a cidade de Contagem, em Minas Gerais.

Entenda o crime

Na madrugada de quarta, Átila invadiu a casa em que Cássia vivia com os três filhos do casal, de 2, 3 e 8 anos, além de uma adolescente de 14 anos, fruto de outro relacionamento da mulher.

O suspeito esfaqueou a vítima na frente das crianças. Cássia morreu na hora. Depois, Átila atacou a filha mais velha da ex-esposa e a espancou.

O filho de 8 anos do casal conseguiu chamar a polícia, que atendeu a ocorrência. A adolescente foi socorrida e levada a um hospital da região em estado grave, com ferimentos na cabeça.

A corporação deu início a buscas pela região e localizou Átila momentos mais tarde. Após ser detido, o rapaz tentou saltar da viatura em movimento, feriu-se e também foi internado, sob escolta policial.

Irmã lamenta o ocorrido

As crianças foram entregues aos cuidados de uma tia, irmã de Cássia, que também vive em Portugal. Ela conversou com a TV Globo e lamentou o ocorrido.

“Os meninos compreenderam tudo o que aconteceu, a brutalidade foi na frente deles. Ele destruiu a nossa família, minha irmã não merecia isso”, disse.

Previous post Vaga de Ajudante de Cozinha (m/f) – Lisboa
Next post Globo exibe matéria mostrando que Portugal é o sexto país mais seguro para se viver